Blogue simples e personalizado, de conteúdo essencialmente literário, dando voz tanto a autores desconhecidos como veiculando autores célebres; com pequenos focos na música, pintura, fotografia, dança, cinema, séries, traduzindo e partilhando alguns dos meus gostos pessoais.
Sejam benvindos ao meu cantinho, ao meu mundo :)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Sting e Cheb Mami -Desert Rose Lyrics

[Cheb Mami Introduction (Algerian Arabic):]Hadaee mada tawila
Wa ana nahos ana wahala ghzalti
Wa ana nahos ana wahala ghzalti
Wa ana nahos ana wahala ghzalti
[English:]
Oh night oh night
It has been a long time
And I am looking for myself and my loved one
And I am looking for myself and my loved one
And I am looking for myself and my loved one


I dream of rain
I dream of gardens in the desert sand
I wake in vain
I dream of love as time runs through my hand


I dream of fire
Those dreams are tied to a horse that will never tire
And in the flames
Her shadows play in the shape of a man's desire


This desert rose
Each of her veils, a secret promise
This desert flower
No sweet perfume ever tortured me more than this


And as she turns
This way she moves in the logic of all my dreams
This fire burns
I realize that nothing's as it seems


I dream of rain
I dream of gardens in the desert sand
I wake in vain
I dream of love as time runs through my hand


I dream of rain
I lift my gaze to empty skies above
I close my eyes
This rare perfume is the sweet intoxication of her love


[Cheb Mami (Algerian Arabic):]
Aman aman aman
Omry feek antia
Ma ghair antia
Ma ghair antia
[English:]
Aman aman aman
My life is for you
And no one other than you
And no one other than you


I dream of rain
I dream of gardens in the desert sand
I wake in vain
I dream of love as time runs through my hand


Sweet desert rose
Each of her veils, a secret promise
This desert flower
No sweet perfume ever tortured me more than this


Sweet desert rose
This memory of Eden haunts us all
This desert flower
This rare perfume, is the sweet intoxication of the fall


[Cheb Mami (Algerian Arabic):]
Ya lili ah ya leel
[English:]
Oh night oh night

Sting - Desert Rose

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Sítios onde Estive - Bom Jesus, Braga

Sitios onde estive - Parque de São Roque, Porto - Foto por Joana Videira ©

Sítios onde Estive - Palácio de Cristal, Porto - Foto por Vanessa Borges ©Meninazul

Merlin - with Sam Neil and Miranda Richardson - 1998

I Paladini - Storia D'Armi E D'Amori/ Hearts and Armours Movie Trailer- 1983

Three Wishes For Cinderella (trailer)/ Tri Oriski Pro Popelku/ Drei Hazelnuesse Fuer Aschenbroedel - 1973

domingo, 11 de dezembro de 2011

Serie Tv - Gaston Phebus - Generique - Hq.avi

PERFUME - The Story of a Murder Trailer 2 HD

Orlando Movie Trailer - Virginia Woolf

Trailer Oficial Português - A RAPARIGA DO CAPUZ VERMELHO

Snow White and the Huntsman - First Trailer (HD)

The Pillars of the Earth - Trailer

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

So Glad To See You Here

ROCKESTRA 2

Paul Mccartney & WINGS - Reception (Long Version)

Paul McCartney & Wings - Winter Rose/Love Awake [High Quality]

Paul Mccartney & Wings " Again And Again And Again" (UPGRADE)

Paul McCartney & Wings - Spin It On [1979]

Old Siam Sir / Paul McCartney & Wings

PAUL MCCARTNEY & WINGS - Back To The Egg TV Special Intro/Getting Closer...

[HD] Queen - Bohemian Rhapsody (official music video) + LYRICS (BEST QUA...

Elton John - Goodbye Yellow Brick Road (Yellow Brick Road 4 of 21)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Bonnie Tyler Live Total Eclipse of the Heart 1984 Grammy's

Bonnie Tyler - Total Eclipse Of The Heart- with Rory Dodd

Sandra - Maria Magdalena (1985) Stereo

Alphaville - Sounds Like A Melody

Human League - Open Your Heart

Everybody Dance Now.

Bomfunk MC's - Freestyler


Freestyler...rock the microphone
Straight from the top of my dome
Freestyler...rock the microphone
Carry on with the freestyler

I gotz to hmmm

to throw on And go on,
you know i gotz to flow on
Select us on ya radio play us
'Cause we're friendly for ozone
But that's not all so hold on
Tight, as I rock the mic right
Oh.. excuse me, pardon
As I syncronize with the analyzed
Upcomin' vibes the session,
Let there be a lession, question
You carry protection
Or will your heart go on
Like Celine Dion - Karma Chameleon

straight from the top of my dome

As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone

(Scratches)


Styles, steelos, we bring many kilos

So you could pick yours, from the various
Ambitious, nutrious, delicious, delirious
Or vicious, just tell us
We deliver anything from accappellas
To propellers, suckers get jealous
But their soft like marshmellows
you know they can't handle us
like debbie does dallas
Yeah, we come scandalous so who tha fuck
Is alice, is she from buckinham palace?

straight from the top of my dome

As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone

Freestyler...rock the microphone

Straight from the top of my dome
Freestyler...rock the microphone
Carry on with the freestyler

straight from the top of my dome

As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone
straight from the top of my dome
As I rock, rock, rock the, rock the, rock the microphone




Cherry Bomb - Dakota Fanning and Kristen Stewart || Official Music Video!

Can't stay at home, can't stay at school
Old folks say, ya poor little fool
Down the street I'm the girl next door
I'm the fox you've been waiting for

Hello Daddy, hello Mom
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb
Hello world I'm your wild girl
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb
Stone age love and strange sounds too
Come on baby let me get to you
Bad nights cause'n teenage blues
Get down ladies you've got nothing to lose

Hello Daddy, hello Mom
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb
Hello world I'm your wild girl
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb

Hey street boy what's your style
Your dead end dreams don't make you smile
I'll give ya something to live for
Have ya, grab ya til your sore

Hello Daddy, hello Mom
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb
Hello world I'm your wild girl
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb

Gerry Rafferty - Baker Street with lyrics

Blood,Sweat & Tears - More and more

Blood,Sweat & Tears - More and more


Uh huh,
Hey yeah, yeah yeah...
Like medicine baby
you're good for me
Like honey, darlin' girl
I know you're sweet to me
Each passing day,
brings us much closer together
and the love you bring me darlin'
just gets better and better
that's why my love for you
keeps on growin'
more and more
all the time
more and more
all the time, yeah!

Uh huh,
Gonna say it again, now now now
Hah!
Like a ship that's driftin' baby
you're apart from me
like old man time
you controll my destiny
if from my life, you ever tried to go
it would destroy in a second
what took a lifetime to mold
that's why my love for you
just keeps on growin'
more and more
all the time
more and more
all the time

Uh huhhhh
Let me hear ya!

[Instrumental Break]

As sure as a sunrise
I'll stand by your side
as sure as the daybreak
I'll love you for Heaven's Sake
I'm ready to pay, yeah
my dues for lovin' you
For lovin' you too much woman,
you know I stand accused

More,
and more
all the time
More and More!
Yeahhhhhh

Chicago - If You Leave Me Now

If you leave me now
you'll take away the biggest part of me
oooh no, baby please don't go

And If you leave me now
You'll take away the very heart of me
oooh no, baby please don't go
oooh girl, I just want you to stay

A love like ours is love that's hard to find
how could we let it slip away

We've come too far to leave it all behind
how could we end it all this way

When tomorrow comes and we both regret
the things we said today

A love like ours is love that's hard to find
how could we let it slip away

We've come too far to leave it all behind
how could we end it all this way

When tomorrow comes and we both regret
the things we said today

If you leave me now
you'll take away the biggest part of me
oooh no, baby please don't go

oooh doll, just got to have you by my side
oooh no, baby please don't go
oooh my my, just got to have your lovin

domingo, 27 de novembro de 2011

JESUS CHRIST SUPERSTAR - I Don't Know How To Love Him

MARY MAGDALENE

I don't know how to love him.
What to do, how to move him.
I've been changed, yes really changed.
In these past few days, when I've seen myself,
I seem like someone else.
I don't know how to take this.
I don't see why he moves me.
He's a man. He's just a man.
And I've had so many men before,
In very many ways,
He's just one more.
Should I bring him down?
Should I scream and shout?
Should I speak of love,
Let my feelings out?
I never thought I'd come to this.
What's it all about?
Don't you think it's rather funny,
I should be in this position.
I'm the one who's always been
So calm, so cool, no lover's fool,
Running every show.
He scares me so.
I never thought I'd come to this.
What's it all about?
Yet, if he said he loved me,
I'd be lost. I'd be frightened.
I couldn't cope, just couldn't cope.
I'd turn my head. I'd back away.
I wouldn't want to know.
He scares me so.
I want him so.
I love him so.

Jacques Brel - Ne Me Quitte Pas


Ne me quitte pas
Il faut oublier
Tout peut s'oublier
Qui s'enfuit déjà
Oublier le temps
Des malentendus
Et le temps perdu
À savoir comment
Oublier ces heures
Qui tuaient parfois
À coups de pourquoi
Le coeur du bonheure
Ne me quitte pas (x4)

Moi je t'offrirai
Des perles de pluie
Venues de pays
Où il ne pleut pas
Je creuserai la terre
Jusqu'après ma mort
Pour couvrir ton corps
D'or et de lumière
Je ferai un domaine
Où l'amour sera roi
Où l'amour sera loi
Où tu seras reine
Ne me quitte pas (x4)

Ne me quitte pas
Je t'inventerai
Des mots insensés
Que tu comprendras
Je te parlerai
De ces amants là
Qui ont vu deux fois
Leurs coeurs s'embrasser
Je te raconterai
L'histoire de ce roi
Mort de n'avoir pas
Pu te rencontrer
Ne me quitte pas (x4)

On a vu souvent
Rejaillir le feu
De l'ancien volcan
Qu'on croyait trop vieux
Il est paraît-il
Des terres brûlées
Donnant plus de blé
Qu'un meilleur avril
Et quand vient le soir
Pour qu'un ciel flamboie
Le rouge et le noir
Ne s'épousent-ils pas
Ne me quite pas (x4)

Ne me quite pas
Je ne veux plus pleurer
Je ne veux plus parler
Je me cacherai là
À te regarder
Danser et sourire
Et à t'écouter
Chanter et puis rire
Laisse-moi devenir
L'ombre de ton ombre
L'ombre de ta main
L'ombre de ton chien
Ne me quitte pas (x4)

There Must Be An Angel (Playing With My Heart) (Remastered)


No one on earth could feel like this
I'm thrown and overflown with bliss
There must be an angel
Playing with my heart

I walk into an empty room

And suddenly my heart goes boom
It's an orchestra of angels
And they're playing with my heart
(Must be talking to an angel)

No one on earth could feel like this

I'm thrown and overflown with bliss
There must be an angel
Playing with my heart

And when I think that I'm alone

It seems there's more of us at home
It's a multitude of angels
And they're playing with my heart

I must be hallucinating

Watching angels celebrating
Could this be reactivating
All my senses dislocating
This must be a strange deception
By celestial intervention
Leavin' me the recollection
Of your heavenly connection

ALOUETTE - DENISE EMMER

Mon amour, au je vois la lune briller
Porquoi tu vas maintenant partir
Lá-bas la nuit est encore
C'est la reine du monde
Reste plus une seconde, reste plus une seconde
Viens avec moi

La lumière du jour nous decouvrira
Et seulement la nuit nous cachera
C'est l'amour impossible que le monde n entend rien
Reste plus un moment, reste plus un moment
Reste avec moi

Alors, tu t'es trompé
Il a été le rossignol qui tu as fait réveiller
Même l'alouette qui porte pour nous le jour
Reste plus une seconde,
Oublie le monde
Viens avec moi

Adele - Someone Like You (Live On The Brit Awards 2011) 15/02/11

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Sítios onde estive - Almada

Amor a Portugal - Dulce Pontes-Compositor: Enio Morriconne


O dia há de nascer
Rasgar a escuridão
Fazer o sonho amanhecer
Ao som da canção
E então:
O amor há de vencer
E a alma libertar
Mil fogos ardem sem se ver
Na luz do nosso olhar
Na luz do nosso olhar

Um dia há de se ouvir
O cântico final
Porque afinal falta cumprir
O amor a Portugal
O amor a Portugal!

May it Be - Enya (Aurora Borealis images)


May it be an evening star
Shines down upon you
May it be when darkness falls
Your heart will be true
You walk a lonely road
Oh! How far you are from home
Mornië utulië (darkness has come)

Believe and you will find your way
Mornië alantië (darkness has fallen)
A promise lives within you now
May it be the shadow's call

Will fly away
May it be your journey on
To light the day
When the night is overcome
You may rise to find the sun
Mornië utulië (darkness has come)

Believe and you will find your way
Mornië alantië (darkness has fallen)
A promise lives within you now
A promise lives within you now

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Conto: "O Pintor de Quadros" - 2ª e última parte - de Florbela de Castro





Intrigado ele pôs-se a caminho. Sentia-se, a um tempo, aliviado, esperançado e oprimido. Mas porquê oprimido? Nem ele próprio sabia explicar o que a sua voz interior lhe tentava avisar.


Chegado à aldeia, facilmente conseguiu capturar o maravilhoso rapaz e com ele rumou para o seu palácio. O jovem, de coração de ouro e alma cristalina, possuía uma rara beleza. Pele diáfana, cabelos loiros de reflexos dourados, feições suaves e doces e os olhos eram castanhos, tão claros e límpidos que quase se assemelhavam a ouro em fusão. Era alto, mas não corpulento.


Julgava Alexander que de alguma forma miraculosa os predicados do precioso rapaz passariam para si. Sentia-se poderoso e regozijava-se interiormente com o desfecho.


Contudo o que o pintor não esperava era que Nathalie, quando esta se acercou do rapaz de coração de ouro e alma cristalina, encantara-se por ele. Este parecia corresponder-lhe, tratando-a com simplicidade e dedicação. A cada dia que passava, iam-se tornando mais unidos.


Ferido pelo ciúme e raiva, Alexander congeminava em separá-los e acabou por seguir um impulso desastroso. Decidiu apunhalar vilmente o rapaz, para assim arrancar-lhe o coração e a alma e torna-los definitivamente seus. Não podia suportar aquela afronta!


Um dia avistou-se com o rapaz nos jardins e puxou de uma adaga para tentar desferir um golpe cobarde e fatal. Nesse momento o céu escureceu, trovejou, o palácio desmoronou-se, os criados desapareceram e Nathalie tombou fulminada. Ferido, o rapaz de ouro e alma cristalina bradou:


-Porque fizeste isso. Acaso julgas que uma boa alma se compra ou se rouba?

Logo a seguir fez-se ouvir um riso estridente da feiticeira.


-Incauto! Perdeste tudo e perdeste-te a ti. E porquê? Por um rabo de saia? O amor é para os tolos. – E rindo a bandeiras despregadas, a voz desapareceu.


Aterrado, Alexander balbuciou:

-Mas tu disseste que tudo aconteceria naturalmente.


Contudo foi o rapaz de coração de ouro e alma cristalina que lhe respondeu.

-Sim, e aconteceu. Ao encontrar Nathalie despertei nela o sentido do amor verdadeiro. Nathalie foi criada por ti mas não tinha um coração para amar. No entanto ela é uma parte de ti mas ao encontrar-me aconteceria a fusão com a alma cristalina e o coração de ouro. Agora que atentaste contra a vida o poder de criar já não é mais teu. – E dito isto o rapaz afastou-se, partindo para a floresta.


Alvoraçado e incrédulo, Alexander procurou tintas e pincéis nos escombros, tentando pintar. Porém, após o raiar de um novo dia, nada se transformou.


Agora estava sem dom, sem amor, sem tecto, sem bens, se casa, sem nada.


O jovem pintor vagueou chorando e soluçando dias a fio as suas mágoas e penas. Só queria morrer e após caminhar exaustivamente, deixou-se cair no solo, onde mergulhou num estado febril. Prdeu a noção do tempo.


Assim permaneceu, definhando. Não procurou ajuda, mas também não o podia pois encontrava-se demasiado fraco.


Ali perto ouvia-se rumorejar das águas de um rio, as folhas das árvores dançavam ao sabor do vento produzindo um som fresco; alguns pássaros trinavam nas redondezas.


Por entre os seus olhos enevoados, Alexander julgou vislumbrar umuma silhueta masculina; assemelhava-se a o rapaz de ouro e alma cristalina, contudo parecia rodeá-lo uma auréola luminosa. O rapaz ajudou-o dedicadamente naquele momento de fraqueza e debilidade. Permaneceu o tempo necessário e para além da sua convalescença. Por fim o pintor já se encontrava restabelecido. Durante aquele período de tempo pouco haviam falado, mas a atmosfera entre os dois sempre fora leve e calmante. Porém Alexander pensara muito na sua vida e resolvera partir em peregrinação. Como que lhe lendo os pensamentos, o rapaz perguntou:


- Acaso desejas fugir de ti mesmo?


O jovem de cabelos negros olhou-o perplexo por uns momentos.


-Preciso pensar, encontrar-me. Porque estou vivo?... Qual o meu lugar aqui?... Porque nasci? Eu só queria…


As palavras morreram-lhe na garganta. Engoliu em seco.


- E Natalie?... – perguntou o rapaz suavemente.


- Natahalie está perdida para sempre! – Os seus olhos negros encheram-se de lágrimas - Ela já não está mais entre nós e a culpa é minha! Nathalie está perdida para mim. Não a mereço. Mas também não consigo viver com esta dor. De ora em diante viverei só para expiar as minhas culpas e longe daqui.


E virando-se lentamente para o companheiro, acrescentou:- Apesar de eu não merecer, sei que és especial e podes ajudar-me a concretizar esta minha decisão…


- Alimentares mágoas e culpas não te vai trazer paz interior, nem é o melhor caminho. Contudo respeito a tua decisão. A partir de hoje correrás mundo levando contigo o coração de ouro. Nathalie não está perdida e o Poder Maior conceder-lhe-á a Alma Cristalina e voltará a viver. Nada mais te posso dizer sobre ela. A não ser que consigas fazer a Verdadeira Reunião.

Tal como previsto o ex-pintor correu mundo. Durante anos percorreu países onde a neve era uma constante e outros onde o estio se perlongava; palmilhou montes, montanhas e vales, planícies e planaltos; atravessou rios, lagos, mares e oceanos; conheceu bosques, florestas e desertos.


Ao longo dos tempos conheceu também pessoas de todos os géneros e raças e culturas, sempre sentindo o seu coração de ouro agir como um magneto nesses encontros. Ao início isto parecera-lhe estranho pois ele sempre fora adverso à convivência, mas com o passar dos anos e das aprendizagens, sentia-se unificado com este.


Havendo decorrido 20 anos, Alexander estabelecera-se há cinco anos no Oriente, num Oásis com uma povoação considerável, alojada. Tornara-se vendedor de tecidos e trajava-se como os demais. Apesar do seu ofício, muitas pessoas vinham pedir-lhe conselhos e ouvi-lo falar. A sua fama espalhou-se por terras longínquas. Forasteiros vinham ouvi-lo falar e pedir orientações.


Um dia ouviu-se falar de uma peregrina que teria o dom de curar as pessoas.


Essa peregrina acabou por ocupar lugar como sacerdotisa num tempo na periferia do Oásis. Porém a mesma não era bem vista pela comunidade que murmurava entre si se ela seria realmente uma curandeira ou na verdade uma maga. Dizia-se que os pacientes que a visitavam voltavam fascinados, principalmente os homens.



Isto causou burburinho entre o povo, especialmente nas mulheres e mães de família. Os falatórios rápido subiram de tom. Alexander tentava acalmar o povo que se reunia em ajuntamentos no mercado local. Não conhecia a dita mulher contudo sentia-se no dever de trazer a harmonia e o bom senso à população. Porém desta vez ninguém deu-lhe ouvidos. As desavenças multiplicavam-se em tom crescente até que num dia em que o sol brilhava numa intensidade chamejante, o tumulto aconteceu. Homens viraram-se contra mulheres, famílias discutiam, amigos defrontavam-se, até o caos se instalar definitivamente no mercado. Alexander assistia a tudo estarrecido Os confrontos tornaram-se de tal forma incontroláveis que fizeram deflagrar um incêndio que se propagou por todo o Oásis!


Em pânico centenas de pessoas fugiam para o deserto, tentando salvar haveres e outros conterrâneos. O terror gerado pela violência das labaredas, causara um efeito de choque, levando todos os habitantes à atitude de união. Alexander certificou-se que todos saiam a salvo.


De repente lembrou-se da peregrina. Estaria ainda no Templo já tomado pelas chamas? Correu para lá, cruzando-se com o último grupo de pessoas em fuga. Um dos membros desse grupo, um mendigo, ao vê-lo dirigir-se para o Templo exclamou:

-Vais salvar a mulher de Alma Cristalina? Então tens de correr como o vento. – Alexander esbugalhou os olhos ao som destas palavras.

Seria possível?...


No interior do Tempol, já deserto, encontrou Nathalie desanimada, pegou nela e correu lesto dali. Já fora do alcance das labaredas estacou esbaforido, ansiando que ela acordasse, insuflando ar para os seus pulmões e ela aos poucos voltou a si.


Felizes pelo reencontro conduziram o povo pelo deserto onde a certa altura depararam-se com o rapaz de coração de ouro e alma cristalina.

-Sou um Anjo. – Revelou este – E venho conduzir-vos para a Nova Terra.


Todos exultaram e enquanto o anjo estendeu uma tela, pincéis e uma palete a Alexander, dizendo a este para pintar.


Então o pintor criou uma belíssima cidade como um arco-íris, cuja entrada era uma gruta. Tudo apareceu imediatamente ali no Deserto.


Extasiados e felizes todos festejaram, enquanto Alexander e Nathalie agradeciam ao anjo. Este presenteou-os com uma bola de luz e sorrindo disse:

-Agora sim, está efectuada a fusão do coração de ouro e da alma cristalina porque vocês se reencontraram e estão prontos para se unirem como casal nesta cidade paradisíaca. – E dito isto voou para longe enquanto o casal lhe acenava de mãos dadas.


FIM

Autoria de Florbela de Castro


Link da 1ª parte:
http://artlira.blogspot.pt/2011/11/conto-o-pintor-de-quadros-1-parte.html


Pode compartilhar livremente a obra desde que respeite os creditos. 

Todos os direitos reservados.Safe Creative #1404130588824

domingo, 6 de novembro de 2011

Conto: "O Pintor de Quadros" - 1ª parte - de Florbela de Castro





Nos tempos da Renascença, onde florescia a arte, vivia na Rússia um jovem de origem modesta, que almejava ser pintor. O seu nome era Alexander.

Alexander era magro, de estatura média, pele quase cor de baunilha pálido, olhos amendoados e negros como os seus cabelos ondulados, usava bigode fino e pera.

Apesar de bonito e em idade casadoira, Alexander não arranjava pretendentes, pois interiormente era uma pessoa um pouco fechada e abrupta.
Alexander tinha um sonho: tornar-se um pintor famoso. Porém não tinha posses para frequentar uma academia, nem conhecimentos influentes para se tornar pupilo de algum mestre famoso. Os seus pais também reprovavam essas atividades e apesar do filho ser detentor de um dom nato não o incentivavam a pintar. Ao início Alexander pintava e desenhava às escondidas, mas após seus pais descobrirem, foi instado a abandonar os seus sonhos.

No presente momento, Alexander ficara órfão e como era filho único, sem família, conjecturou voltar a pintar. E como faria para arranjar dinheiro para os materiais? Cedo arquitectou uma forma. Foi vendendo o recheio da casa até quase a esvaziar. A seguir foi pondo mãos à obra, noite e dia, e produziu um quadro de natureza morta. Estava maravilhoso; Alexander admirou até altas horas e por fim adormeceu sonhando em ganhar um bom dinheiro com este.

No dia seguinte acordou bem cedo para ir para a feira levando a sua obra debaixo do braço. A feira estava apinhada, com banca de doces, tecidos, hortaliças, pratas, tamancos e uma profusão de pessoas.

Enquanto se dirigia ao local para vender o seu quadro, Alexander sentia fome e já sonhava deliciado com o deglutir de uma nêspera sumarenta e de um pão com queijo. Ao caminhar tropeçou em várias frutas e até ouviu uma peça de vidro fragmentar-se em mil pedaços "Estes mercadores se não têm cuidado só verão prejuízos no final do diz", pensou ele. Finalmente alguém lhe perguntou o que ele levava ali. Tratava-se de um casal de uma certa idade e de aspecto abastado. Talvez fosse algum meirinho.

-Este quadro retrata uma maravilhosa taça de cristal adornada de belos frutos - anunciou Alexander, virando a tela para o casal de meia idade.

Os seus rostos ficaram sem expressão ao fitar aquela obra enquanto o jovem pintor ostentava um sorriso triunfante. à medida que o abastado cliente transfigurava a sua expressão curiosa numa de ira, o sorriso de Alexander desmaiava no seu rosto.

-Patife! - vociferou o velho - Tomais-me por idiota?? Como ousas querer enganar-me!?

-Enganá-lo, senhor?... - o jovem artista estava perplexo - Se a minha tela não vos agrada... - foi interrompido pelos sorrisos e gargalhadas de sarcasmo de uns e os impropérios iracundos de outros.

Só então o pintor olhou para a sua tela e o que viu fê-lo empalidecer de espanto. Nada havia ns mesma a não ser um fundo castanho escuro que ele tão primorosamente pintara. Mas...como era aquilo possível??...

Alexander estava desnorteado, contudo teve de fugir lestamente para não ser atacado pela multidão. Derrotado e esfomeado, chegou a casa sem compreender o sucedido. Pensou, pensou e por fim adormeceu angustiado, pois dormir já era meio sustento. Ao acordar de manhã uma interrogação tomou forma na sua mente: A taça que se partira e as frutas pelas quais tropeçara na feira seriam as do quadro?

Assomou-lhe então uma ideia à cabeça e sem mais delongas pôs-se a esboçar um quadro onde o tema era uma lauta refeição. Terminou-o já noite alta e extenuado e enfraquecido adormeceu. Acordou de manhãzinha com uma mesa farta e deliciosos aromas. Sim, mesa que ele nem sequer tinha mas que havia desenhado, adornada de uma vistosa toalha vermelha. Vitorioso Alexander atirou-se à bela refeição esfaimado.

A partir dali, ele passou a desenhar as suas refeições diárias e voltou a mobilar a sua casa. Tentou ser discreto com a vizinhança, fazendo-os acreditar que vendia os seus quadros numa vila longínqua. Passaram-se longos meses. O dom tomara a cabeça de Alexander. Este afastara-se da aldeia e, entrando na floresta, havia desenhado um belo palacete com um luxuoso palacete. Depois, criados, belas carruagens e cavalos, magnificas roupas.

Haviam-se passado três anos. Apesar da criadagem, sentia-se só. Lembrou-se então de desenhar uma mulher.



Três dias gastou a desenhar, pintar e aprimorar uma bela mulher. No final Alexander mirou o quadro satisfeito, sentindo-se um Deus, pois brevemente teria a sua Deusa nos seus braços. Aliás, passou o resto do dia admirando a sua obra e a bela mulher; até fez as suas refeições nos seus próprios aposentos para não desfitar os olhos da pintura. Bem sabia que no dia seguinte ela ganharia vida.

Tentou deitar cedo, mas custou-lhe a adormecer. Finalmente mal abriu os olhos, saltou da cama e e deparou-se com a formosa mulher. Esta era de estatura média, delgada, de olhos claros esverdeados, cabelo escuro e ondulado, de beleza delicada mas selvagem; tão genuína era a sua essência que não parecia ter sido inventada por um pintor mas sim diretamente criada por fonte divina.



Alexander permaneceu de olhos esbugalhados a contemplar a linda mulher e imediatamente se viu apaixonado por ela.

A partir daquele dia o homem tornou-se um delicado companheiro da bela Nathalie, de seu nome; presenteava-a com os mais belos vestidos, tecidos, toucados, jóias e perfumes. Brindava-a com finas iguarias, exóticas frutas, deliciosas sobremesas. Conversava e passeava com ela à noite...na realidade, Alexander monologava pois a mulher permanecia sem emitir qualquer som desde que surgira.

Mas o homem, louco de paixão, nem se parecia importar com isso. Por ela pintou mais retratos, casas, jardins, o mundo...Contudo a jovem permanecia calada e reservada, suspirando de vez em quando.

Alexander bem via que a sua paixão não era correspondida e que nada fazia feliz a sua Nathalie. Isso também o deixava infeliz. Porém a paixão dominava-o e só o fazia teimar na sua conquista. Febrilmente pintava presentes magníficos, manjares deliciosos, luxos ostensivos continuamente, mas nada disso trazia o amor de Nathalie…

Desesperado, um dia, interpelou a linda moça do que fazer para a conquistar.

Esta, por fim, respondeu-lhe em voz clara e límpida.

-Amarei aquele que tiver uma alma cristalina e um coração de ouro.

Esta resposta deixou Alexander confuso. Uma alma cristalina?... Um coração de ouro?... Como pintar isso?...

Passou semanas errático e cismático, acabrunhado por não saber como pintar aquilo e torná-lo seu.

Até que um dia ouviu falar numa velha feiticeira que vivia na orla da floresta e resolveu visitá-la apresentando-lhe todo o seu caso.

Esta deu uma gargalhada e disse que a fama de Alexander precedia-o. Pausadamente falou que tinha a solução para ele. A três aldeias dali vivia um rapaz de coração de ouro e alma cristalina e que Alexander só precisava ir buscá-lo e assinar um pacto com ela, lacrado com o seu sangue. Excitado mas ainda confuso, o pintor tartamudeou como iria reconhecer o rapaz e como iria conseguir transferir o que ele queria para ele mesmo.


A velha estendeu-lhe uma pulseira de diamante afirmando que esta brilharia intensamente mal ele se acercasse do rapaz e que à vista desta, o pobre rapaz perderia a reação dando espaço para o pintor lhe colocar a pulseira, fazendo segui-lo fielmente.

-Quanto ao resto, tudo acontecerá naturalmente – respondeu a velha misteriosamente e já atarefada com a elaboração escrita do pacto.

Alexander não imaginava o quão malogrado se tornava naquele momento.

Link da 2a parte -final: 

http://artlira.blogspot.pt/2011/11/o-pintor-de-quadros-2-e-ultima-parte.html

Pode compartilhar livremente a obra desde que respeite os creditos. 

Todos os direitos reservados.Safe Creative #1404130588824

terça-feira, 2 de agosto de 2011

A Lenda de Romeu e Julieta


Romeu e Julieta (no original em inglês Romeo and Juliet) é uma tragédia escrita entre 1591 e1595, nos primórdios da carreira literária de William Shakespeare, sobre dois adolescentes cuja morte acaba unindo suas famílias, outrora em pé de guerra. A peça ficou entre as mais populares na época de Shakespeare e, ao lado de Hamlet, é uma das suas obras mais levadas aos palcos do mundo inteiro. Hoje, o relacionamento dos dois jovens é considerado como o arquétipo do amor juvenil.


Romeu e Julieta pertence a uma tradição de romances trágicos que remonta à antiguidade. Seu enredo é baseado em um conto da Itália, traduzido em versos como A Trágica História de Romeu e Julieta por Arthur Brooke em 1562, e retomado em prosa como Palácio do Prazer por William Painterem 1582. Shakespeare baseou-se em ambos, mas reforçou a ação de personagens secundários, especialmente Mercúcio e Páris, a fim de expandir o enredo. O texto foi publicado pela primeira vez em um quarto de 1597 mas essa versão foi considerada como de péssima qualidade, o que estimulou muitas outras edições posteriores que trouxeram consonância com o texto original shakespeariano.


A estrutura dramática usada por Shakespeare—especialmente os efeitos de gêneros como a comutação entre comédia e tragédia para aumentar a tensão; o foco em personagens mais secundários e a utilização de sub-enredos para embelezar a história—tem sido elogiada como um sinal precoce de sua habilidade dramática e maturidade artística. Além disso, a peça atribui distintas formas poéticas aos personagens para mostrar que eles evoluem; Romeu, por exemplo, fica mais versado nos sonetos a medida que a trama segue.


Em mais de cinco séculos de realização, Romeu e Julieta tem sido adaptada nos infinitos campos e áreas do teatro, cinema, música e literatura. Enquanto William Davenant tentava revigorá-la durante a Restauração Inglesa, e David Garrick modificava cenas e removia materiais considerados indecentes no século XVIII, Charlotte Cushman, no século XIX, apresentava ao público uma versão que preservava o texto de Shakespeare. A peça tornou-se memorável nos palcos brasileiros com a interpretação de Paulo Porto e Sônia Oiticica nos papéis principais, e serviu de influência para o Visconde de Taunay em seu Inocência, também baseado em Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco, considerado o "Romeu e Julieta lusitano". Além de se mostrar influente no ultrarromantismo português e no naturalismo brasileiro,Romeu e Julieta mantém-se famosa nas produções cinematográficas atuais, notavelmente na versão de 1968 de Zeffirelli, indicado como melhor filme, e no mais recente Romeu + Julieta, de Luhrmann, que traz seu enredo para a atualidade.

Romeu e Julieta retrata a interação entre três proeminentes famílias em Verona:


Casa dos Capuletos


Capuleto é o patriarca da casa dos Capuletos.


Senhora Capuleto é a matriarca da casa dos Capuletos.
Julieta é a filha única dos Capuletos, já que seus irmãos morreram, e a protagonista feminina da peça.
Tebaldo é primo de Julieta, e sobrinho da senhora Capuleto.
A Ama é a confidente e ama de Julieta.
Pedro, Sansão e Gregório são os criados dos Capuletos.Governo
Príncipe Escalo é o Príncipe de Verona
Páris é um jovem nobre, parente do príncipe, e pretendente de Julieta.
Mercúcio é parente do príncipe e amigo de Romeu.

Casa dos Montecchios

Montecchio é o patriarca da casa dos Montecchios.

Senhora Montecchio é a matriarca da casa dos Montecchios.
Romeu é o filho único dos Montecchios, e o protagonista masculino da peça.
Benvólio é sobrinho de Montecchio e amigo de Romeu.
Abraão e Baltasar são os criados dos Montecchios.Outros
O Coro, que lê o prólogo.
Frei Lourenço é confidente de Romeu e franciscano.
Frei João é quem iria entregar a carta de Frei Lourenço para Romeu.
Um Boticário, que vende a poção fatal para Romeu.
Rosalina é uma personagem invisível, pretendente de Romeu antes dele conhecer Julieta.





A peça abre numa rua com o desentendimento entre os Montecchios e os Capuletos. O Príncipe de Verona intervém e declara que irá punir com morte as pessoas que colaborarem para mais uma briga de ambas as famílias. Mais tarde, Páris conversa com Capuleto sobre o casamento de sua filha com ele, mas Capuleto está confuso quanto o pedido porque Julieta tem somente treze anos. Capuleto pede para Páris aguardar dois anos e o convida a uma planejada festa de balé que será realizada na casa. A Senhora Capuleto e a Ama de Julieta tentam persuadir a moça a aceitar o cortejo de Páris. Após a briga, Benvólio encontra-se com seu primo Romeu, filho dos Montecchios, e conversa sobre a depressão do moço. Benvólio acaba descobrindo que ela é o resultado de um amor não-correspondido por uma garota chamada Rosalina, uma das sobrinhas do Capuleto. Persuadido por Benvólio e Mercúcio, Romeu atende o convite da festa que acontecerá na casa dos Capuletos em esperança de encontrar-se com Rosalina. Contudo, Romeu apaixona-se perdidamente por Julieta. Após a festa, na famosa "cena da varanda", Romeu pula o muro do pátio dos Capuletos e ouve as declarações de amor de Julieta, apesar de seu ódio pelos Montecchios. Romeu e Julieta decidem se casar.


Com a ajuda de Frei Lourenço - esperançoso da reconciliação das famílias através da união dos dois jovens - eles conseguem se casar secretamente no dia seguinte. Teobaldo, primo de Julieta, sentindo-se ofendido pelo fato de Romeu ter fugido da festa, desafia o moço para um duelo. Romeu, que agora considera Teobaldo seu companheiro, recusa lutar com ele. Mercúcio sente-se incentivado a aceitar o duelo em nome de Romeu por conta de sua "calma submissão, vil e insultuosa". Durante o duelo, Mercúcio é fatalmente ferido e Romeu, irritado com a morte do amigo, prossegue o confronto e mata Teobaldo. O Príncipe decide exilar Romeu de Verona por conta do assassinato salientando que, se ele retornar, terá sua última hora.Capuleto, interpretando erroneamente a dor de Julieta, concorda em casá-la imediatamente com o Conde Páris e ameaça deserdá-la quando ela recusa-se a se tornar a "alegre noiva" de Páris. Quando ela pede, em seguida, o adiantamento do casamento, a mãe lhe rejeita. Quando escurece, Romeu, secretamente, passa toda a noite no quarto de Julieta, onde eles consumam seu casamento.






No dia seguinte, Julieta visita Frei Lourenço pedindo-lhe ajuda para escapar do casamento, e o Frei lhe oferece um pequeno frasco, aconselhando: "… bebe seu conteúdo, que pelas veias, logo, há de correr-te humor frio, de efeito entorpecedor, sem que a bater o pulso continue em seu curso normal, parando logo…" O frasco, se ingerido, faz com que a pessoa durma e fique num estado semelhante a morte, em coma por "duas horas e quarenta".Com a morte aparente, os familiares pensarão que a moça está morta e, assim, ela não se casará indesejadamente. Por fim, Lourenço promete que enviará um mensageiro para informar Romeu — ainda em exílio — do plano que irá uni-los e, assim, fazer com que ele retorne para Verona no mesmo momento em que a jovem despertar. Na noite antes do casamento, Julieta toma o remédio e, quando descobrem que ela está "morta", colocam seu corpo na cripta da família.


A mensagem, contudo, termina sendo extraviada e Romeu pensa que Julieta realmente está morta quando o criado Baltasar lhe conta o ocorrido. Amargamente, o protagonista compra um veneno fatal de um boticário que encontra no meio do caminho e dirige-se para a cripta dos Capuletos. Por lá, ele defronta-se com a figura de Páris. Acreditando que Romeu fosse um vândalo, Páris confronta-se contra o desconhecido e, na batalha, o segundo dos dois assassina o outro. Ainda acreditando que sua amada está morta, ele bebe a poção. Julieta acaba acordando e, descobrindo a morte de Romeu, se suicida com o punhal dele, vendo que a poção do moço não possuía mais nenhuma gota. As duas famílias e o Príncipe se encontram na tumba e descobrem os três mortos. Frei Lourenço reconta a história do amor impossível dos jovens para as duas famílias que agora se reconciliam pela morte dos seus filhos. A peça termina com a elegia do Príncipe para os amantes: "Jamais história alguma houve mais dolorosa / Do que a de Julieta e a do seu Romeu."


Romeu e Julieta pertence a uma tradição de romances trágicos que remontam a antiguidade. Um desses romances é o da história de Píramo e Tisbe, da Metamorfoses de Ovídio, cujo enredo contém paralelos com a história de Shakespeare: os pais dos dois amantes detestam-se mutuamente, e Píramo acaba acreditando que Tisbe está morta. Tradutores contemporâneos deste poema narrativo muitas vezes referem-se ao enredo de Píramo e Tisbe como "o Romeu e Julieta da antiguidade". Os Contos Efésiosde Xenofonte de Efésios, escrito em meados do século III, também possui muitos elementos semelhantes ao da peça, incluindo a separação drástica dos protagonistas, e o frasco cuja bebida induz a um estado de morte aparente.
A versão mais recente conhecida do conto de Romeu e Julieta é a história de Mariotto e Gianozza porMasuccio Salernitano, no conto 33 de seu Il Novellino, publicado em 1476. Salernitano ambienta sua história em Siena e implanta algumas locações de sua própria vida nos eventos da história. A sua versão inclui elementos como o casamento secreto, o conluio do Frade, a briga que decorre do assassinato de um cidadão, o exílio de Mariotto, o casamento forçado de Gianozza, o frasco, e a mensagem crucial no final. Nesta versão, Mariotto é capturado e decapitado, enquanto Gianozza morre de tristeza.
Luigi da Porto adaptou essa história como Giulietta e Romeo e a incluiu em sua Historia novellamente ritrovata di due Nobili Amanti publicada em 1530, juntando o conto de Píramo e Tisbe com o Decamerão de Giovanni Boccaccio. Da Porto contribuiu muito para a concepção moderna, pois além de elaborar o nome dos amantes e de suas famílias rivais como Montecchi e Capuleti, colocou a localização da peça em Verona. Ele também criou personagens que hoje correspondem ao Mercúcio, ao Tebaldo e ao Páris de Shakespeare. Da Porto apresenta o seu conto como historicamente verdadeiro e alega que ele se passou na época de Bartolomeo II della Scala (um século antes de Salernitano). Os Montecchios e os Capuletos eram facções políticas do século XIII, mas a única ligação dissidente que ocorreu entre eles é a mencionada no Purgatório de Dante. Na versão de da Porto, Romeu toma o veneno e Giulietta se fere com o punhal do amado.

Como havia uma tendência entre os poetas e dramaturgos em publicar trabalhos baseados nas famosasnovelles italianas — os contos da Itália figuravam entre os mais populares do teatro da época - Shakespeare tomou vantagem dessa popularidade nas seguintes obras (todas derivadas de novellesitalianas): O Mercador de VenezaMuito Barulho Por NadaTudo Bem Quando Termina BemMedida por Medida, e Romeu e Julieta. O bardo inglês pode ter sido muito bem familiarizado com a coleção de contos de 1567 elaborada por William Painter, intitulado Palácio do Prazer, que inclui uma versão em prosa da história de Romeu e Julieta nomeada "The goodly History of the true and constant love of Rhomeo and Julietta". Antes dessas produções, contudo, em 1562 era publicado o poema narrativo A Trágica História de Romeu e Julieta de Arthur Brooke que, embora tivesse elementos intencionalmente ajustados para refletir alguns trechos do enredo de Tróilo e Créssida de Chaucer, é considerado uma tradução fiel da versão de Boaistuau.

Em 1554, Matteo Bandello publicou o segundo volume de seu Novelle incluindo a sua própria versão deGiulietta e Romeo. Bandello enfatiza a inicial tristeza de Romeu no início da peça e a contenda entre as famílias, além de introduzir na obra Benvólio e a Ama. O enredo produzido por Bandello foi traduzido para a língua francesa por Pierre Boaistuau em 1559 no primeiro volume de sua Histories Tragiques. Boaistuau adicionou moralidade e sentimento, e também um tanto de linguagem retórica nos diálogos das personagens da obra.
Acredita-se que Romeu e Julieta seja uma dramatização desta tradução de Brooke, e que Shakespeare segue o texto fielmente, acrescentando-lhe, contudo, maiores destaques para a maioria dos personagens secundários, especialmente a Ama e Mercúcio.Dido, rainha de Cartago e Herói e Líder — ambos os poemas escritos na época de Shakespeare pelo seu contemporâneo Christopher Marlowe — talvez tenham sido influências diretas para o texto de Romeu e Julieta, mesmo que o final de ambos tenha a atmosfera na qual as trágicas histórias de amor pudessem prosperar, ao contrário do final trágico da peça.



Romeu e Julieta é por vezes considerada uma obra sem temas, com a ressalva de que trata do amor entre dois jovens apaixonados. Estes dois jovens tornaram-se com o tempo a emblemática dos jovens amantes que são condenados pelo seu amor. Uma vez que o tema se apresenta de forma muito clara na peça, há uma grande exploração da linguagem e do contexto histórico por trás desse romance.] Em seu primeiro encontro, Romeu e Julieta utilizam uma forma de comunicação recomendada por muitos autores críticos da época de Shakespeare: a metáfora. Usando metáforas de santos e pecados, Romeu teve a oportunidade de testar os sentimentos que Julieta nutria por ele de uma forma não-ameaçadora. Esse método estilístico era recomendado pelo diplomata e cortesão italiano Baldassare Castiglione (cujas obras haviam sido traduzidas para o inglês da época).Castiglione lembra que, se um homem utiliza uma metáfora como um convite, a mulher pode fingir que ela não entendeu o que ele disse, e então ele poderia recuar sem perder a honra. Julieta, no entanto, participa da metáfora de seu amado e colabora para seu desenvolvimento, expandindo-a. Metáforas religiosas como "santuário", "peregrino" e "santo" se encontravam na moda poética da época e eram consecutivamente mais suscetíveis de serem compreendidas como algo romântico, ao invés de bobagens ou blasfêmias, como o conceito de santidade ficou associada tempos depois através do Catolicismo. Mais tarde, Shakespeare remove as alusões mais audazes que ele encontrou na história de Romeu e Julieta de Brooke, como uma acerca da ressurreição de Cristo.

Indiscutivelmente, Shakespeare relaciona sexo e amor com a morte. Por exemplo: ao longo da história, tanto Romeu como Julieta, assim como as outras personagens, a personificam como um acontecimento sombrio, frequentemente equiparando-a com o Erotismo: ao descobrir a morte (falsa) de Julieta, por exemplo, Capuleto diz que sua filha foi "desflorada", uma alusão simples para o fim da virgindade feminina.Julieta também compara Romeu com a morte de forma erótica e, mesmo antes de seu suicídio, ela se apossa do punhal de Romeu e diz: "Oh! sê bem-vindo, punhal! Tua bainha é aqui. Repousa aí bem quieto e deixa-me morrer."

Na famosa cena do terraço, Shakespeare coloca Romeu ouvindo por acaso o solilóquio de Julieta, embora na versão de Brooke a declaração da moça é feita sem ninguém escutar. Ao aproximar Romeu na cena para escutar sua amante, Shakespeare quebra com a sequência tradicional da corte: normalmente, as mulheres eram obrigadas a serem tímidas e modestas para se certificarem que seus pretendentes eram sinceros para com elas. A quebra (intencional) dessa regra serve apenas para adiantar um pouco o enredo teatral, contudo. Os amantes são capazes de pular a parte das declarações de amor e passar a falar de sua relação—como quando decidem se casar depois de se conhecerem em apenas uma única noite. Se nos focarmos na cena final do suicídio, podemos perceber uma contradição na mensagem: na religião católica, os suicidas eram condenados para viverem e amargarem no inferno; porém, existia também o conceito de que, se morressem através da "Religião do Amor", ao lado de seu amor, estariam unidos com ele no paraíso. Portanto, o amor entre Romeu e Julieta parece expressar a "Religião do Amor", em vez de expressar a visão católica. Outro ponto interessante de ressaltar é que, embora o amor de ambos seja passional, ele só se consumou no casamento, o que os impede de perder a simpatia do público.


Web site da última imagem

iglesiasrafael.wordpress.com

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Jesus E Madalena: Evidências do Casamento de Jesus e Maria Madalena




Vitral, retratando Jesus com Maria Madalena grávida  (Igreja Católica de Kilmore, Dervaig, na Escócia).



Antes de ler a matéria na íntegra, assista ao vídeo abaixo, preparado por mim, para resumir a ideia central do artigo. Para enriquecer sua pesquisa, logo após, você poderá clicar no link Continue lendo, na continuação da matéria, abaixo da imagem abaixo. Mas, não deixem de assistir ao vídeo seguinte:


(Créditos do texto e pesquisa, bem como das imagens: Rodapé do post)
Na parte de baixo deste vitral há uma inscrição:
“Maria escolheu a parte boa, a qual não lhe será tirada.”
Nesse versículo (Lucas 10,42),  o evangelista está se referindo à Maria de Betânia, quando Marta se queixa com Jesus por Maria ter lhe deixado os serviços domésticos e então Jesus responde:
“Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária; Maria escolheu a parte boa, que não lhe será tirada.”
Isso revela claramente que Maria Magdalena e Maria de Betânia são a mesma pessoa , Betânia é o local de nascimento e Magdala é um título, assim como: “Primeira Dama”. A palavra Magdala de Maria, não diz respeito a sua cidade de origem, mas sim, a palavra hebraica Migdal (מגּדּלּ), que significa Torre. Desta forma: Maria, chamada Torre (correspondente ao posto mais alto), indica sua posição na comunidade como: Rainha.
Quadro do pintor renascentista Fra Angélico:
A Matriarca sentada em um TRONO em forma de TORRE (Migdal) faz referencia a sua posição na comunidade como rainha.
***
No ano de 591 o papa Gregório I ( Gregório Magno 590-604), fez um sermão de páscoa declarando que Maria Madalena e Maria de Betânia eram a mesma pessoa.
***
Lucas cap 8:
Maria, chamada Magdalena* é citada como uma das mulheres que acompanhavam Jesus.
*Obs: Maria, é chamada Migdal (Torre), da mesma forma que Simão, é chamadoPedro ou Kefah (Pedra) – Mateus 10,2 e Marcos 3,16. Também João e seu irmão Tiago são chamados Boanerges (filhos do trovão) – Marcos 3,17; e Saulo é também chamado Paulo – Atos 13,9.
Era costume dar títulos aos apóstolos.
***
No Jantar em Betânia (Mateus 26,6-13 ; Marcos 14,3-9 ; João 12,1-8), Maria de Betânia, A Torre (Migdal), unge Jesus para o sepultamento, função que era designada às esposas. Como Maria poderia ter assumido essa função se não fosse sua esposa?Um jovem solteiro, que fosse sepultado, deveria ser ungido por sua mãe.
***
Esposa unge marido condenado:
“Jesus disse: Por que molestais esta mulher? É uma ação boa o que ela me faz. Pobres vos tereis sempre, a mim, porem nem sempre tereis. Derramando o perfume em meu corpo, ela o fez em vista a minha sepultura” (Mateus 26: 10-12)
“Deixai-a. Por que a molestais? Ela fez uma boa obra. Pobres vos tereis sempre, a mim, porem nem sempre tereis. Ela fez o que pode: embalsamou-me antecipadamente o corpo para a sepultura.” (Marcos 14:6-8)
“Jesus disse: Deixai-a; ela guardou* este perfume para o dia de minha sepultura”(João 12:1-8)
*OBS: No ritual de casamento pelo qual Jesus passou, de acordo com Margaret Starbird em seu livro “Maria Madalena – A mulher do vaso de alabastro”, a esposa ungiria seu marido no dia do seu casamento e GUARDARIA o restante do Nardo (não era qualquer oléo) para ungir o corpo do marido para a sepultura.
***

Por que Maria de Betânia não estava usando véu quando ungiu Jesus?
João 11,1-2:
“Lázaro caiu doente em Betânia, onde estavam Maria e sua irmã Marta. Maria era quem ungira o Senhor com óleo perfumado e lhe enxugara com seus cabelos.”
Assim como as mulheres muçulmanas fazem, as judias naquela época também usavam véu cobrindo os cabelos, e pela moral judaica as mulheres só poderiam mostrar seus cabelos para os homens de sua família como: seu pai, irmãos, maridoe filhos!!!
Jesus era uma autoridade: Senhor, Mestre, Rabino: se Ele não fosse esposo de Maria seria um grande desrespeito ela lhe aparecer com os cabelos a mostra!!!

Em muitas imagens Maria Magdalena aparece com o vaso de alabastro que no Jantar em Betânia, Maria de Betânia usou para ungir Jesus (Jo 12,1-18). Nestas imagens acima, assim como em muitas outras imagens, ela é retratada com um frasco de ungüento (ou vaso de alabastro) nas mãos.
Ascenção de Jesus em Betânia
Lucas 24,50:
“Depois os levou para Betânia e, levantando as mãos, os abençoou. Enquanto os abençoava, separou-se deles e foi arrebatado ao céu.”
Assim como no jantar seis dias antes da páscoa, Jesus também ascendeu ao céu na cidade de Betânia, cidade de Maria de Betânia – a Torre, ou seja, Magdalena. Porque Jesus teria escolhido esta cidade para estar em momentos tão importantes de sua vida?
Seria o lar de Jesus e sua família em Betânia?
Após casado, Jesus pode ter se mudado para Betânia, onde foi morar com sua esposa, e, sua nova residência pode ter sido estabelecida junto com seus novos parentes: sua esposa e cunhados Lázaro e Marta.
Como pregador, Jesus percorria as cidades de Israel, pregando sua Boa Nova, mas sempre voltava à Betânia, como em Mateus 21,17. Por esta razão teria voltado novamente à Betânia antes da páscoa e depois de sua ressurreição onde ascendeu ao céu.
Evangelho segundo Felipe:
Par.32: “Três eram as que caminhavam sempre com o Senhor: sua mãe Maria, a irmã desta e Madalena, a quem se designa como sua companheira…”
Par.55: “A companheira de Cristo é Maria Madalena…”
(De acordo com historiadores e arqueólogos a palavra companheira, no hebraico e no aramaicosignifica esposa.)

O celibato está em desacordo com as Leis Divinas na Bíblia!!
Gênesis 1,27: “Deus criou o homem à sua imagem; (…), os criou homem e mulher. Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos!!”
Gênesis 2,18: “O Senhor Deus disse: ‘Não é bom que o homem esteja só; vou lhe dar uma auxiliar que lhe seja adequada.’ “
Gênesis 2,22: “O Senhor Deus fez a Mulher e a levou para junto do Homem.”
Gênesis 2,24: “Por isso o Homem deixa seu Pai e sua Mãe para unir-se à sua mulher.”
Gênesis 9,1: “Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra.”
O celibato imposto pela Igreja é baseado apenas em 1 Coríntios cap. 7. Mas, no mesmo capítulo (1 Coríntios 7, 25), o próprio apóstolo Paulo diz: “respeito das pessoas virgens, não tenho mandamento do Senhor.
***

Epístola aos Efésios capítulo 5:
28 Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
29 Pois nunca ninguém aborreceu a sua própria carne, antes a nutre e preza, como também Cristo à igreja;
30 porque somos membros do seu corpo.
31 Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher
e serão os dois uma só carne.
33 Todavia também vós, cada um de per si, assim ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie a seu marido.
***
PALAVRAS DO PRÓPRIO JESUS:
Mateus 19,4-5:
“Não lestes que o criador no começo, fez o homem e a mulher e disse: por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e os dois formarão uma só carne?”
Mateus 4,23:
“Jesus percorria toda Galileia, ENSINANDO NAS SUAS SINAGOGAS e pregando o evangélho do reino…”
Pela Lei Judaica, para exercer o rabinato (ser Rabino, um Mestre) o homem precisa ser casado! Essa é a tradição judaica desde os primórdios , é assim até os dias de hoje.
Só os Rabinos podem pregar nas Sinagogas, da mesma forma que só os padres podem celebrar missas. Logo, se “Jesus ensinava nas suas sinagogas”, como afirma o Evangelho de Mateus, isso significa que Jesus era um rabino e era casado!
***
2ª Epístola de João, cap. 1:
“O ancião à senhora eleita (Madalena), e a seus filhos, aos quais amo na verdade, e não somente eu, mas também todos os que têm conhecido a verdade…”***
Sêlo Rosa-Cruz de Martinho Lutero
A Rosa é o símbolo de Maria Madalena, e a Cruz de Jesus Cristo Rei.
(A rosa de cinco pétalas está relacionada com a estrela de cinco pontas que simboliza o sagrado feminino)
Martinho Lutero foi o padre alemão que deu início ao movimento protestante em 1517. Ele descobriu que Jesus foi casado com Madalena, que Maria mãe de Jesus não foi sempre virgem e que Jesus teve irmãos (e muitas outras coisas).
Por isso, Lutero abandonou o celibato e casou-se em 1525.
Sara, a filha.
Contam que Maria Madalena com seus filhos e outros discípulos com José de Arimatéia fugiram para Alexandria no Egito, onde nasceu sua filha Sara. Depois rumaram para a França.
Seu centro de culto é a cidade de Saintes-Maries-de-la-Mer, na França, onde ela teria chegado junto com Maria Jacobina ou Jacobé, irmã de Maria, mãe de Jesus, Maria Salomé, Maria Madalena, Marta, Lázaro e Maximinio. Eles teriam sido jogados no mar em um barco sem remos nem provisões, e Sara teria rezado e prometido que se chegassem a salvo em algum lugar ela passaria o resto de seus dias com a cabeça coberta por um lenço. Eles depois disso chegaram a Saintes-Maries (França), onde algumas lendas dizem, foram amparadas por um grupo de ciganos.
A igreja proibiu, com ameaça de morte (inquisição), que se falasse de Madalena como esposa de Jesus e de seus filhos, por isso, tiveram que inventar que Sara teria sido uma escrava de José de Arimatéia. Posteriormente, o povo cigano adotou Saracomo sua santa padroeira.
Ela é conhecida como Sara Kali – padroeira dos ciganos, A imagem de Santa Sara fica na cripta da igreja de Saint Michel, onde estariam depositados seus ossos. Fontes variam: se sua canonização consta de 1712, ou se é uma santa regional. Sua festa é celebrada nos dias 24 e 25 de maio, reunindo ciganos de todo o mundo.
Sua imagem é coberta de lenços, sendo ela uma protetora da maternidade. Mulheres (Romi) que não conseguem engravidar e mulheres que pedem por um bom parto, ao terem seus pedidos atendidos, depositam aos seus pés um lenço (diklô). Centenas de lenços se acumulam aos seus pés.
As pessoas fazem todo tipo de pedido para Santa Sara, por sua fama de atender todos os que depositam verdadeira fé nela. Mas perseguirá os opressores, os racistas, aqueles que vão contra seus protegidos prímevos, que são os ciganos. Santa Sara é a santa dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.
***

O Rei dos Judeus era um profeta:
O próprio Jesus afirma que é um PROFETA em algumas passagens dos evangelhos. Quando está em sua cidade de Nazaré, e sofre devido a falta de fé de seus vizinhos e parentes, é criticado e faz poucos milagres, Ele afirma:
“É só em sua pátria e em sua família que um PROFETA é menosprezado” (Mateus 13,57)
“Um PROFETA só é desprezado na sua pátria, entre seus parentes e na sua própria casa.” (Marcos 6,4)
“Em verdade vos digo: Nenhum PROFETA é bem aceito em sua pátria.” (Lucas 4, 24)
*Observem que Jesus disse: “UM PROFETA é desprezado em sua pátria…” se referindo a sí mesmo, pois estava em sua cidade, onde não conseguiu obter o mesmo êxito que nas demais cidades da Judeia.
***
Os outros profetas também conduziram grandes milagres, como Elias que ressuscitou o filho da viúva de Sarepta, venceu 450 profetas de Baal, etc. E Moisés que sob o comando de Deus, enfrentou o faraó do Egito, tirou o povo da escravidão, comandou as 7 pragas do Egito, abriu o Mar Vermelho, tirou água de pedra, fez cair maná dos céus, recebeu as tábuas da lei, levou o povo hebreu do Egito até a terra prometida de Canaã, etc.
***
Jesus, Rei dos Judeus, foi, sem dúvida nenhuma, o maior dos profetas. Sua fé incomensurável e sua forte ligação com Deus lhe atribuíram faculdades e dons maravilhosos, fazia milagres extraordinários que impressionavam multidões.
Deuterônimos 18,17-18-19:
E o Senhor disse-me: “Está muito bem o que disseram; Eu lhes suscitarei um PROFETA como tu dentre teus irmãos: pôr-lhe-ei minhas palavras na boca, e Ele lhes fará conhecer as minhas ordens. Mas o que recusar ouvir o que Ele disser de minha parte, pedir-lhe-ei contas disso!”
Rei e Profeta:
Mateus 21,10-11:
“Quando Ele entrou em Jerusalém, alvoroçou-se toda cidade, perguntando: “Quem é este?” A multidão respondia: “É Jesus, o PROFETA de Nazaré da Galiléia.”
Lucas 19,38:
“E diziam: “Bendito o REI que vem em nome do Senhor!”
João 12, 13:
“Saíram -lhe com ramos e palmas exclamando: “Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor, O REI DE ISRAEL!”
A DIFERENÇA ENTRE JESUS E JOÃO, O BATISTA:
Segundo arqueólogos e historiadores, João Batista pertencia a uma ceita de eremitas que eram os ÚNICOS que praticavam celibato (o que não era bem visto pelos judeus em geral) , eles seguiam comportamentos específicos: obedeciam regras e normas diferentes dos outros judeus, além de não casarem, também rejeitávamos os pecadores, as mulheres e os enfermos; faziam uma dieta insípida eNÃO BEBIAM VINHO!
Estes fatos demonstram que Jesus não podia pertencer a mesma seita que João Batista, logo, não poderia ser celibatário!!!
***
Mateus 11,18-19 e Lucas 7,33-34:
“Pois veio João Batista, que nem comia pão, nem bebia vinho, e dizeis: ele esta possuído do demônio. Veio o Filho do Homem que come e bebe, e dizeis: Eis um comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e pecadores.”
Marcos 1,6:
“João andava vestido de pelo de camelo e trazia um cinto de couro de em volta dos rins, e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre.”
Nestas passagens dos evangelhos, ficam bem claras as diferenças de comportamento entre Jesus e o eremita João Batista!
A arqueóloga e historiadora Fernanda Camargo-moro em seu livro “A arqueologia de Madalena” afirma que as regras da comunidade eremita de João Batista estão muito bem documentadas segundo Flávio Josefo – História dos Judeus.
O CÓDIGO DOS TEÓLOGOS CATÓLICOS:
No dia dedicado pela igreja à Stª Maria Madalena (dia 22/07), ela está relacionada no CALENDÁRIO LITÚRGICO com 4 leituras escolhidas por teólogos católicos:
->Cântico dos Cânticos 3,1-4ª
->2Corintios 5,14-17
->Salmos 62
-> João 20,1-2.11-18.
A 1ª Leitura, Cântico dos Cânticos 3,1-4, está no Antigo Testamento, entre os Cânticos de Salomão. Encontramos a seguinte definição na Introdução aos Livros do Antigo Testamento das bíblias católicas para Cântico dos Cânticos:
“Uma coleção de poemas, originariamente, destinados ás solenidades nupciais” (Solenidades nupciais significam cerimônias de casamento).
Observe o que está escrito em Cântico dos Cânticos 3,1-2:
¹”Durante a noite, em meu leito (ou minha cama!!), procurei aquele que meu coração ama; procurei-o sem encontrá-lo.”
²”Vou levantar-me e percorrer a cidade, as ruas e praças, em busca daquele que meu coração ama; procurei-o sem encontra-lo.”
Na segunda leitura, em 2 Corintios 5,16 está escrito:
“Por isso, nós daqui em diante a ninguém conhecemos de modo humano*. Muito embora tenhamos considerado Cristo desta maneira, agora já não o julgamos assim.” ( * Humano -> lit. segundo a carne).
Na terceira leitura em Salmos 62,2 está escrito:
“Ó Deus, vós sois meu Deus, com ardor vos procuro. Minha alma está sedenta de Vós, e minha carne por vós anela como terra árida e sequiosa, sem água.”
A última leitura, João 20, é a única que fala claramente de Madalena no dia da ressurreição.
Se Maria Madalena tivesse sido apenas uma simples discípula de Jesus, por que os teólogos católicos, nestas escolhas litúrgicas, a associam com estes poemas destinados a cerimônias de casamento judaicas e a textos que fazem claras referências à um lado carnal de Jesus?
Glossário:
Liturgia: Conjunto de práticas e elementos religiosos instituídos por uma igreja para prestar culto à Deus. (ou aos Santos)
Fonte: Dicionário Caldas Aulete
Calendário: Tabela que registra dias do ano, divididos em semanas e meses. Conjuntos de datas previstas para determinados compromissos, eventos, etc.
Fonte: Dicionário Caldas Aulete
Calendário litúrgico católico: Calendário em que estão registrados os dias dos santos católicos. Cada dia do ano corresponde a um Santo, para cada santo são relacionadas as leituras litúrgicas correspondentes.
Leituras litúrgicas: Versículos bíblicos determinados pela igreja, que estão relacionados com os santos correspondentes ou com outro elemento religioso.
Analisando os versículos de Ct 3,1-4a:
1- “Em meu leito, durante a noite, busquei o amor de minha vida; procurei-o, e não o encontrei.”
Somente a esposa estranharia a ausência do Esposo em seu leito (cama), durante a noite.
2 – “Vou levantar-me e percorrer a cidade, procurando pelas ruas e praças, o amor de minha vida: procurei-o e não o encontrei.”
A esposa, não encontrando seu esposo deitado a seu lado, resolve levantar-se de seu leito à noite para procurá-lo pela cidade.
3 – “Encontraram-me com GUARDAS que faziam a ronda pela cidade: “Vistes porventura o amor de minha vida?”
Os guardas simbolizam os soldados romanos que guardavam a entrada do sepulcro de Jesus.
4 – “E logo que passei por eles, encontrei o Amor de minha vida“.
Simboliza o encontro de Maria Madalena e Jesus no dia da “Ressurreição”.
Cântico dos Cânticos é:
–>> uma coleção de poesias, de gosto oriental, declamadas nas festas de casamento. Enaltece a sublimidade e a fidelidade do amor dos esposos. Os israelitas viam no casamento um modo de Deus manifestar sua amizade para com o povo, fazendo o Povo de Deus perpetuar-se e distender-se.
O amor humano, sublimado no casamento, tornou-se o símbolo, do grande amor que Deus tem para com a alma de cada pessoa.”
***
Última Ceia com Maria Madalena
do pintor renascentista espanhol Juan de Juanes (1500 – 1579)

Para evitar que as pessoas acreditassem que a mulher ao lado de Jesus era o Apóstolo João afeminado, Juan foi muito esperto, pintou dois quadros: este é com Madalena usando um vestido vermelho (cor de sangue), na frente do casal há um nó na toalha da mesa pra enterder que os dois estão “amarrados” (comprometidos, casados) e a mesa redonda faz lembrar os cavaleiros da távola redonda em busca do Santo Graal.
Última Ceia com o apóstolo João de Juan de Juanes.
Este outro quadro é com o apostolo João, veja a diferença!!!!Dessa forma Juan de Juanes acabou com as dúvidas!
Quadro Santa Ceia de Leonardo Da Vinci
Observa-se que a roupa vermelha cor de sangue forma o V (cálice) do Graal. Vermelho de sangue + V (cálice) do Graal é o símbolo do Sang Real. A figura também forma um M de Madalena ou de Matrimônio.
Imagem formada pela sobreposição de uma imagem invertida do quadro Santa Ceia de Da Vinci sobre a outra normal (descoberta feita por um especialista em computação) .
Esta a imagem de uma mulher com um bebê no colo, que surge na sobreposiçãodo quadro Santa Ceia de Da Vinci, colocando uma imagem do quadro invertida sobre a outra.
Essa é a imagem de um templário, que surge na sobreposição do quadro Santa ceia de Da Vinci quando invertida e colocada sobre outra.
Santa Ceia de Da Vinci, a imagem de Madalena quando transposta para o outro lado de Jesus se encaixa perfeitamente!
Observe: ela está grávida nesta imagem de George de La Tour!
***
Outro quadro de Maria Madalena grávida com o frasco de alabastro, do famoso pintor Botticelli (Grão-Mestre do priorado de Sião), de 1467.
Escultura antiga em estilo barroco. Observe a figura da mulher com a cabeça sobre o colo de Jesus.
Maria Madalena Grávida: Notre Dame – Paris
Pequena Sereia, desenho da Disney, é inspirado no signo da Rosa, que simboliza Maria Madalena. Seus cabelos vermelhos parecem as pétalas e a calda verde o caule. Nesta cena, aparece a Pequena Sereia olhando para o quadro de Madalena do pintor Georges de La Tour.
Walt Disney era membro da Ordem De Molay (Jacques De Molay foi grão mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, morreu na fogueira da inquisição católica no dia 11 de março de 1314)
Walt Disney teria sido também um membro do Priorado De Sião?
Pintura do renascentista Fra Angélico, Maria Madalena tem em uma mão o vaso de alabastro e do outro lado, no colo, uma menininha com um vestidinho cor-de-rosa, sua filha Sara.

Créditos:
http://ebraelshaddai.wordpress.com/2009/01/20/evidencias-do-casamento-de-jesus-e-maria-madalena/